CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO
DIA: 24 de outubro (quarta-feira)
HORÁRIO: 8h e 30min
LOCAL: Auditório do HC -fundos- (acesso pela Rua Padre Camargo)

A reitoria da Universidade Federal do Paraná está OCUPADA .
Ocupada contra um decreto presidencial impositivo, contra um Conselho Universitário antidemocrático, contra a truculência e falta de diálogo da reitoria, contra um posicionamento atrelado ao reitor por parte do diretório central dos estudantes, contra políticas neoliberais e contra o desmonte da universidade pública.
Amanhã haverá COUN (Conselho Universitário) aberto em prol de um PLEBISCITO para a decisão da adesão ou não da UFPR ao programa REUNI. Por uma decisão mais democrática, para que toda comunidade acadêmica decida sobre um assunto de  tanta importância para a educação pública, gratuita e de qualidade.

É importante e necessária a participação de todos no COUN.

FORA REUNI!
PLEBISCITO JÁ!

2 Respostas to “CONSELHO UNIVERSITÁRIO”

  1. giovana (sociais) Says:

    Galera, olhem a página inicial do site da UFPR. A ofensiva começou! Estão anunciando ameaças aos RUs e às bolsas. Isso tem que ser discutido em uma assembléia. Por favor, caso marquem, divulguem amplamente. Contem conosco aqui fora também. O trabalho de vcs está lindo, é uma pena que eu não possa estar aí com vocês. Alguma novidade com relação a Assembleia Extraordinaria do DCE? Nao tive noticias! Abraços!

  2. OCUPAÇÃO UFF Says:

    A Universidade Federal Fluminense está ocupada.

    Após uma sucessão de golpes aplicados na comunidade acadêmica, o Conselho Universitário (CUV) que votaria a adesão ou não ao projeto de reestruturação das universidades federais (Reuni) seria realizado essa manhã, no Cine Art UFF, que fica na prédio da reitoria. Diante da certeza de que o decreto seria barrado na votação, tendo em vista o grande número de colegiados de cursos que deliberaram posição contrária ao decreto e a massiva mobilização estudantil, o reitor Roberto Salles deu um golpe: declarou suspenso o conselho logo após seu início, e retirou-se do local.

    O movimento contrário ao Reuni, integrado pelo DCE, bem como pela ADUFF e o SINTUFF, estava presente em massa no local do conselho e, em plenária, deliberou que se iniciasse uma ocupação na reitoria, integrada à ocupação já existente no hall da mesma, que tem como pauta principal a construção da moradia estudantil.

    No fim da tarde, recebemos o informe de que o reitor Roberto Salles havia publicado um comunicado no site da UFF, retirando o projeto de Reuni da universidade da pauta do conselho universitário e encaminhando-o para a Comissão de Orçamento e Metas do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), e lembrando que o prazo de adesão ao decreto pelas IFES era o dia 17 de dezembro – ou seja, haveria tempo suficiente para a reitoria se reerguer e articular novo golpe.

    Mas o ponto mais impressionante do comunicado foi a alegação de que a suspensão do conselho tinha se dado “para garantir o direito, a liberdade e o respeito pela instituição” e que seriam tomadas “as medidas cabíveis” para ter certeza de que os atos mobilizadores do movimento contrário ao Reuni não mais prejudicassem a democracia na universidade.

    No fim da plenária, quando nos encontrávamos em situação razoavelmente dispersa, duas viaturas da Polícia Federal chegaram ao prédio da reitoria com um mandato de reintegração e posse. Os policiais exigiram a desocupação imediata do prédio e deram ao movimento um prazo até amanhã de manhã para que esta seja realizada. Alegaram ainda que a abordagem era pacífica, mas ficou implícito que caso a desocupação não se realizasse… a polícia tomaria, por sua vez, “as medidas cabíveis”.

    É dessa forma que o reitor Roberto Salles quer garantir a liberdade e a democracia na universidade: chamando a polícia federal contra os estudantes que têm como desejo garantir a universidade pública e de qualidade para todos.

    É imprescindível denunciar a sociedade como se está tentando aprovar o decreto do Reuni nas universidades federais: com golpes, violência e, principalmente, total esfacelamento da parca democracia conquistada pelos movimentos sociais acadêmicos. Nem mesmo os conselhos universitários, onde o setor majoritário estudantil é minoria, estão sendo respeitados.

    Os estudantes da UFF, a ADUFF e o SINTUFF disseram não ao Reuni. Um enorme número de colegiados de curso e conselheiros universitários disse não ao Reuni.
    O próprio vice-reitor Emmanuel Andrade disse não ao Reuni. E diante disso tudo a reitoria jogou a carta da repressão covarde sobre a comunidade acadêmica.
    Mas nós seguimos firmes na ocupação, e conclamamos toda a sociedade, destacadamente os estudantes e os movimentos de ocupação espalhados pelo Brasil, a juntar-se a nós nessa luta pela educação.

    LOGO QUE A POLÍCIA SAIU OS OCUPANTES PUXARAM UMA PLENÁRIA DE MOBILIZAÇÃO PARA IMPEDIR QUE ESSA ATITUDE
    ANTI-DEMOCRÁTICA PROCEDA. TANTO A OCUPÇÃO DA REITORIA QUANTO O ACAMPAMENTO MARIA JULIA BRAGA FORAM INTIMADOS.

    Comissão de ComuniçãO
    ocupacaouff@gmail.com
    http://ocupacaouff.blogspot.com/

    Por favor, divulgue!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: