Notas públicas da Ocupação

Nossa Moção de Apoio às Ocupações de Reitorias de IFES | 28.10.07
“O decreto do Reuni comprovou que a ofensiva da precarização na universidade pública é grande. Do lado de cá, o movimento estudantil, com apoio de professores e técnicos, mostrou que a nossa resistência não vai ser menor. Se eles querem inchar a universidade, nós defendemos uma real expansão desta, com qualidade. Se eles querem que isso seja aprovado de qualquer forma, a qualquer custo, nós resistimos, escrevemos textos, fazemos debates, oficinas, atos e ocupamos reitorias intransigentes.
É uma pena que a universidade sofra tal ataque a ponto de uma ocupação não ser nada menos do que uma necessidade. Mas esse momento difícil mostra a força do movimento, nossa capacidade de resistir e não permitir que esse desmonte da educação aconteça.
Resistimos porque sonhamos. E sonhamos porque lutamos por uma universidade pública, gratuita, de qualidade, com ensino pesquisa e extensão para todos. Não é a universidade que temos hoje. Não é a universidade que o Reuni propõe.
Nosso projeto passa por uma transformação da educação e da sociedade em que vivemos.O movimento estudantil mostra sua força e sua determinação quando não somos meros espectadores nesse processo. Mas a vanguarda das lutas pela educação pública. Toda ocupação é legitima e combativa. Toda a criminalização do movimento social pela mídia burguesa e os aparatos do Estado deve ser combatida. Na UFPR continuamos na luta e não vamos parar até barrar o Reuni, com ou sem reintegração de posse, até construirmos a nossa universidade, até derrotarmos o neoliberalismo.
Assim parabenizamos e declaramos nosso total apoio aos estudantes ocupados na Unifesp, UFRJ, UFBA, UFPR, UFS, UFC, UFRJ, UFSCAR, UNIR, UFBA, UNIR, UNIRIO, UFRRJ, UFES, UFPE, FSA, UFF, UFSC e UNIFESP e aos estudantes de todas as Federais na luta contra o Reuni.”

Movimento de Ocupação da Reitoria
da Universidade Federal do Paraná

__________
Manifesto de Ocupação da Reitoria da UFPR | 17.10.2007
Nós, estudantes da Universidade Federal do Paraná, declaramos que, aproximadamente às 14 horas e 40 minutos do dia 17 de outubro de 2007, ocupamos pacificamente a reitoria de nossa universidade. Nosso ato explicita nossa posição contrária ao REUNI, decreto presidencial de número 6.096, publicado a 24 de abril de 2007. Permaneceremos em nossa manifestação até que:- o item “REUNI” seja definitivamente retirado das pautas do Conselho Universitário (COUN);

– que a adesão ou não da universidade ao programa seja decidida através de um plebiscito deliberativo com toda a comunidade acadêmica, já que os efeitos afetariam drasticamente todas as categorias – estudantes, servidores técnico-administrativos e professores.

Os estudantes sempre defenderam a universidade como uma instituição de direito público, básico e universal. Partindo dessa premissa, reivindicamos políticas de acesso e permanência à universidade. Entretanto, essas bandeiras não podem ser confundidas com as metas e índices do governo, decretados por meio do REUNI, que gera uma falsa democratização da educação universitária.

Defendemos que o aumento na taxa de diplomação para 90% e o aumento da relação professor por aluno de graduação para 1 por 18, da maneira como o decreto institui, implica uma mudança pedagógica que compromete a qualidade do ensino, bem como inviabiliza a pesquisa e a extensão, que constituem indissociavelmente a essência da universidade. A submissão das universidades federais a um programa de metas do governo é inconstitucional, pois fere o princípio da autonomia universitária, instituído pela Constituição de 1988.

A preocupação com o programa REUNI deve ser compartilhada também pela sociedade como um todo, já que a universidade pública é a principal figura na produção e transmissão do conhecimento no Brasil. Ainda que o REUNI promova o ingresso de mais estudantes, não assegura a qualidade da formação dos profissionais. Portanto, convidamos a sociedade a se juntar a nossa luta, especialmente aqueles que pretendem ingressar em uma universidade pública.

Questionamos a representatividade do Conselho Universitário, que é composto em 70% por professores e em apenas 30% por servidores e estudantes. Os estudantes formam a maior parte da comunidade acadêmica. Todavia, a votação no COUN não é nem mesmo paritária.

Cabe a todo estudante lutar para que o Estado realmente invista na expansão qualitativa e quantitativa das universidades públicas e na assistência estudantil. Precisamos fazer com que esse decreto saia da pauta do COUN e que a decisão seja tomada de forma democrática por toda a comunidade acadêmica.

__________
Nossa Moção de Apoio às Ocupações de Reitorias de IFES | 22.10.07
“O decreto do Reuni comprovou que a ofensiva da precarização na universidade pública é grande. Do lado de cá, o movimento estudantil, com apoio de professores e técnicos, mostrou que a nossa resistência não vai ser menor. Se eles querem inchar a universidade, nós defendemos uma real expansão desta, com qualidade. Se eles querem que isso seja aprovado de qualquer forma, a qualquer custo, nós resistimos, escrevemos textos, fazemos debates, oficinas, atos e ocupamos reitorias intransigentes.
É uma pena que a universidade sofra tal ataque a ponto de uma ocupação não ser nada menos do que uma necessidade. Mas esse momento difícil mostra a força do movimento, nossa capacidade de resistir e não permitir que esse desmonte da educação aconteça.
Resistimos porque sonhamos. E sonhamos porque lutamos por uma universidade pública, gratuita, de qualidade, com ensino pesquisa e extensão para todos. Não é a universidade que temos hoje. Não é a universidade que o Reuni propõe.
Nosso projeto passa por uma transformação da educação e da sociedade em que vivemos.O movimento estudantil mostra sua força e sua determinação quando não somos meros espectadores nesse processo. Mas a vanguarda das lutas pela educação pública. Toda ocupação é legitima e combativa. Toda a criminalização do movimento social pela mídia burguesa e os aparatos do Estado deve ser combatida. Na UFPR continuamos na luta e não vamos parar até barrar o Reuni, com ou sem reintegração de posse, até construirmos a nossa universidade, até derrotarmos o neoliberalismo.
Assim parabenizamos e declaramos nosso total apoio aos estudantes ocupados na Unifesp, UFRJ, UFBA e aos estudantes de todas as Federais na luta contra o Reuni.”Movimento de Ocupação da Reitoria
da Universidade Federal do Paraná

__________
Nota sobre Comissão de Ética | 22.10.2007
Nós, estudantes que ocupamos a Reitoria da Universidade Federal do Paraná, declaramos que, em nenhum momento, o movimento de Ocupação negou ao Reitor o acesso dos
funcionários necessários para que se encaminhasse o processo de contratação de professores.
Ao sermos informados de que a Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan) necessitaria utilizar-se das instalações da Reitoria para finalizar as contratações, decidimos em Assembléia que os funcionários teriam acesso ao prédio. Entretanto, nenhum pedido especifico a respeito foi encaminhado à Comissão de Ética da Ocupação. Quaiquer outras solitações devem ser remetidas à referida Comissão, que encontra-se na própria Reitoria ocupada.

Aguardamos a solicitação da Reitoria, certos de que tal pedido não será negado.

Comissão de Ética da Ocupação

__________
Resposta pública da Ocupação – 22/10/2007
O movimento de ocupação da reitoria da UFPR vem a publico esclarecer o andamento do processo de ocupação e declarações equivocadas a respeito.
Ocupamos a reitoria no dia 17 de outubro para impedir a aprovação do REUNI no Conselho Universitário (COUN) da UFPR por entendermos que a decisão no COUN não é democrática nem representativa.
A ocupação é um ato político e, como tal, digno de legitimidade enquanto pautado no aumento da democracia interna desta instituição e na ampliação do debate antes de qualquer deliberação irreversível. Diferente do que disse o reitor, cerca de 100 estudantes permanecem na reitoria enquanto continua o processo de negociação. Há grande rotatividade de estudantes na ocupação, algumas de nossas assembléias contam com 200 estudantes.
Não estamos sozinhos. Quatro universidades federais se mantêm ocupadas contra o REUNI. Cerca de 100 entidades apóiam nossa ocupação, dentre elas 10 centros acadêmicos da UFPR, 7 diretórios centrais do Paraná (DCE UEL, UEM, UTFPR de Curitiba e Ponta Grossa, UEPG, Unioeste Marechal Candido Rondon, Fafipar Paranaguá) e a associação dos professores da UFPR (APUFPR), que aprovou unanimemente em assembléia moção de apoio a ocupação. Apenas o DCE da UFPR não legitima ou apóia a nossa ocupação.
Na UFPR, inúmeras assembléias estudantis, a assembléia da APUFPR e os colegiados dos setores de Humanas, Letras e Artes, Exatas e Educação votaram contra a adesão da UFPR ao programa. O plebiscito possibilita que o REUNI não seja imposto às unidades que já se manifestaram, mas que a decisão seja construída democraticamente.
A ocupação foi conseqüência do movimento gerado por debates e atos realizados isoladamente que culminaram na organização e construção conjunta de estudantes. Nossa legitimidade se dá pela atuação de cada estudante presente e por estes ideais serem partilhados por inúmeros outros estudantes na Universidade em todo o Brasil.O pedido de reapropriação do prédio antes que se encaminhasse a negociação demonstra que quem não está aberto ao diálogo é a reitoria.
O pedido de reapropriação foi encaminhado pela procuradoria federal, mas isto não retira do reitor a responsabilidade. É, em última instância, o Reitor o responsável por todas as ações praticadas em nome da Universidade.
Não desocupar a reitoria até que o plebiscito seja garantido não é intransigência do movimento, já que o principio do que defendemos é uma maior democracia. Trata-se de coerência com o modelo de universidade que defendemos e na defesa do qual realizamos a ocupação.

Curitiba, 22 de outubro de 2007

Movimento de Ocupação da Reitoria
da Universidade Federal do Paraná
__________
Nova nota ao Reitor | 22.10.2007
Magnifico Senhor Reitor,
Essa ocupação busca, acima de tudo, o melhor para a comunidade
acadêmica da Universidade Federal do Paraná e não será obstáculo às
ações que visem este fim. Portanto, a Comissão de Ética se coloca
novamente à disposição, para atender quaisquer solicitações para
utilização das dependências internas do Prédio da Reitoria por parte
dos membros da supracitada comunidade.

Comissão de Ética

__________
Resposta à nota de esclarecimento do DCE UFPR | 24.10.2007
Os estudantes ocupados na Reitoria da UFPR vêm a público rechaçar as mentiras veiculadas pelos meios de comunicação do Diretório Central dos Estudantes (DCE), que colocam em xeque o caráter de membros combativos que têm se dedicado a construir a verdadeira democracia representativa.

1. Os grupos que encabeçam a ocupação vêm, desde julho, promovendo o debate sobre o REUNI na UFPR. Eles foram a inúmeras reuniões setoriais, palestras e conversas sobre o programa, procuraram conhecer as posições e argumentos de ambos os lados e sempre defenderam que qualquer posição que fosse tomada sobre o decreto – favorável ou contrária – fosse, antes de tudo, fundamentada. Alguns coletivos se organizaram para discutir o REUNI e foram amplamente divulgados, assim como foi criado um fórum na internet de posição neutra com o objetivo de centralizar as discussões sobre o REUNI na UFPR, a fim de fundamentar e fortalecer o posicionamento de toda a comunidade acadêmica. Os criadores do fórum entraram em contato com o DCE para pedir apoio há alguns meses, mas não foram respondidos.

2. Nenhuma nota da ocupação acusou o DCE de represálias de algum tipo.

3. Os estudantes da ocupação, além de comparecerem à Assembléia Extraordinária dos Estudantes, não proibiram a entrada dos membros do DCE na ocupação da maneira como o DCE tem divulgado. No primeiro dia da ocupação, inclusive, o DCE entrou no prédio e conversou com os estudantes que lá estavam. Membros do DCE só foram impedidos de entrar no prédio, por uma questão de segurança e de ética, a partir do momento em que divulgaram uma nota à toda a comunidade acadêmica dizendo que não aceitavam nem legitimavam a ocupação.

4. O movimento de ocupação da reitoria não é vinculado a algum motivo eleitoreiro ou político-partidário. A preocupação com o REUNI é algo que une pessoas de diversos cursos, chapas estudantis, ideologias políticas e credos.

5. O DCE não está impedido de estabelecer comunicação com os estudantes da ocupação, ninguém está. Existe uma Comissão de comunicação e Imprensa cujo contato têm sido amplamente divulgado, tanto nos manifestos, panfletos e outros materiais impressos, quanto o blog oficial da ocupação.

6. Todas as posições e as opiniões dos estudantes da ocupação têm sido divulgadas no blog oficial da ocupação e através de documentos que têm sido produzidos, panfletados nos campi da UFPR e encaminhados para listas de discussão.

Tal como foi divulgado em nossa nota sobre Comissão de Ética, declaramos que, em nenhum momento, o movimento de ocupação negou ao reitor o acesso dos funcionários necessários para que se encaminhasse processo de contratação de professores. Ao sermos informados que a pró-Reitoria de Planejamento (Proplan) necessitaria utilizar as instalações da Reitoria para finalizar as contratações, decidimos em Assembléia que os funcionários teriam acesso ao prédio. Entretanto, nenhum pedido específico a respeito foi encaminhado à Comissão de Ética da Ocupação.

Na luta pela democracia e pela verdade,Movimento de Ocupação da Reitoria
da Universidade Federal do Paraná

__________
Nota Pública sobre Comissão de Ética e as mentiras do Reitor | 25.10.2007
O Movimento de Ocupação da Reitoria da Universidade Federal do Paraná vem esclarecer algumas questões que foram veiculadas no site da UFPR no dia 23/10 sobre o financiamento dos Restaurantes Universitários (RUs), folha de pagamento de seis mil professores e servidores, pagamento de 1.669 bolsas de graduação, mais de 500 bolsas de mestrado e doutorado e finalização do processo de contratação de 180 professores. A assessoria do Reitor insiste em alegar, na mesma nota, que o Movimento de Ocupação é composto por apenas “três dezenas de estudantes”, quando até o dia de hoje, aproximadamente 500 estudantes diferentes já passaram pelo Prédio da Reitoria e nele permanecem dormindo aproximadamente 120 estudantes. Outra inverdade proferida pelo Reitor é de que o Movimento está impedindo o acesso de funcionários imprescindíveis ao andamento das questões financeiras da Universidade e que afetam diretamente a comunidade acadêmica. Para cuidar desse tipo de questões, uma Comissão de Ética foi criada no dia 18/10, para, entre outras responsabilidades, avaliar os pedidos de entrada de funcionários da UFPR na Reitoria ocupada, para efetuações de processos administrativas que dizem respeito à assistência acadêmica. A Comissão emitiu notas públicas para o Reitor e para a sociedade em seus veículos de informações na internet: blog e listas de e-mail. Nosso Reitor insiste em, como de praxe, ignorar tais notas e manifestações do Movimento de Ocupação. Não houve interesse por parte da reitoria em procurar a comissão de ética da ocupação. É nítido o posicionamento do Reitor Moreira em tentar minar nosso movimento tentando nos creditar uma falta de interesse dele e de seus Pró-Reitores em beneficiar os estudantes. O Reitor mente quando alega que nosso ato político pode prejudicar o bom funcionamento de questões relacionadas à comunidade acadêmica. Reiteramos que a Comissão de Ética continua aberta e não será obstáculo para ações que visem o melhor para estudantes, professores e servidores da Universidade.

__________

11 Respostas to “Notas públicas da Ocupação”

  1. Ocupação da reitoria da UFPR completa 4 dias « Tribuna do Rock: rock, política, cinema e tv Says:

    […] Matéria Completa | Blog da Ocupação | Manifesto da Ocupação […]

  2. . Says:

    Conseguem fazer algo melhor do que simplesmente COPIAR e COLAR ?

  3. Fora Reuni Says:

    caro “.”

    não dá, estamos muito ocupados.

  4. Paulo Says:

    O que acontece as Federais que não aprovarem o REUNI ?

  5. Henrique Silva Says:

    Vai trabalhar, cambada de vagabundos, mimadinhos, filhinhos de papai e mamãe. Seus escrotos, o movimento de vcs é uma piada, sem legitimidade. Fascistinhas de merda.

  6. Gustavo Torres Guinter Says:

    Remelentos e Xexelentas, vocês são a vergonha desta universidade. Ditadorezinhos birrentos. “Não querem mais brincar? Então vamos invadir a reitoria!” Se eu fosse reitor, pedia para a Polícia Federal invadir esta latinfúndio improdutivo e descer o cacete em todo vagabundo que estiver aí parasitando o espaço público.

  7. Alberto Prestes Says:

    Vagabundos, conhecedo a história de outras invasões picaretas desta mesma reitoria, pergunto: 1) o que é que vcs já afanaram do prédio? Um cpu? Uma telinha de computador? Um modem, talvez? 2) Tão usando as privadas dos banheiros para cagar, ou estão fazendo cocô nos vasos e nas gavetas, como tradicionalmente? 3)Tá rolando de que, além de maconha?

  8. Ocupação UEM 2011 Says:

    Estamos juntos!
    ocupacaouem2011.blogspot.com
    Ocupação da Reitoria da UEM “Manuel Gutiérrez”

    “Ô Federal, pode lutar, que a UEM vai te apoiar”.

  9. zumbialexandre2ulo Says:

    Vergonhosa esta atitude por parte de uma minoria mobilizada que se quer cumpre com suas obrigações para com o Brasil muito menos para a educação.

    Bolcista que paralizou e apoiou o movimento é de hipocrisia enorme. Ètica aos movimentos estudantis.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: